Cópia de Ferramentas de Avaliação e inte
PADRÕES MÍNIMOS PARA PROGRAMAS DE TREINAMENTO
EM INTEGRAÇÃO SENSORIAL DE AYRES PARA TERAPEUTAS OCUPACIONAIS (TO), aprovados na reunião do ICEASI
em Hong Kong, 13 de outubro de 2019 às 8h00.
ICEASI.jpg

Alguma forma de avaliação do conhecimento do participante deve ocorrer em cada etapa do treinamento.

A duração total mínima do programa é de 120 horas com pelo menos 50% ministrado no local com os participantes.

Os programas devem incluir uma descrição clara dos conteúdos, métodos de ensino e resultados esperados para cada uma das seguintes áreas: Fundamentos teóricos da ISA, Avaliação da Função de Integração Sensorial e Disfunção; Interpretação de Dados de Avaliação para informar o Raciocínio Clínico, Intervenção em ISA. As 4 áreas de conteúdo podem ser distribuídas em diferentes fases do processo de aprendizagem e não necessariamente apresentadas como cursos separados. O aprendizado prático/hands-on, presencial, é parte essencial do processo de aprendizagem para as áreas de avaliação e intervenção. Além disso, supervisão e mentoreamento estreitos são uma parte essencial do processo de aprendizagem para a área de interpretação de dados de avaliação para informar o raciocínio clínico. Os programas devem incluir uma descrição clara de como isso será tratado.

 

Os resultados do programa de educação devem incluir o seguinte:

 

Conhecimento e compreensão: o aluno bem-sucedido saberá e compreenderá:

 

                     1. Origens da Teoria de Integração Sensorial: como e por que Ayres coletou dados, incluindo conhecimento e compreensão dos

                          modelos vinculados à IS (e limites para cada um)

 

                     2. Desenvolvimento típico de integração sensorial ao longo da vida

 

                     3. Neurociências: neurofisiologia e anatomia, sistemas sensoriais e como eles interagem para facilitar a função

 

                     4. Modelos de raciocínio clínico existentes, como Tomada de Decisão Baseada em Dados/Data Driven Decision Making (Schaaf, 

                         2015) e ISA

                         Ferramenta de Avaliacao e Interpretacao®/ Assessment® and Interpretation Tool, (Schaaf & Mailloux, 2015);

 

                     5. Conhecer uma gama de ferramentas de avaliação disponíveis para avaliar ISA e função e disfunção da práxis. Limites e pontos

                         fortes das ferramentas/considere os outros - confiabilidade e validade. Discriminar entre padronizado e não padronizado.

 

                     6. Padrões de disfunção - definidos pela teoria ISA

 

                     7. Conheçe e compreender os termos ISA

 

                     8. Base de conhecimento para planejamento de intervenção:

                         • Manual ISA, por exemplo, definição de metas e resultados

                         • Pesquisa atual e base de evidências para ISA e de campos relacionados

 

                     9. Base de conhecimento para intervenção

·                         • ver e experimentar, por exemplo, vídeo/prática (hands-on) sob supervisão

·                         • saber sobre o processo de fidelidade: identificar e fazer

    ·          

                  10. Saber quando usar e aplicar ISA com a própria profissão; saber quando e onde buscar apoio / suficiente (dentro da própria 

                        profissão e de fora)

Habilidades: O aluno bem-sucedido será capaz de:

 

1. Fazer observações objetivas sem tirar conclusões/interpretações precipitadas,

2. Basear a interpretação em dados objetivos,

3. Escolher as ferramentas e métodos de avaliação ISA e outras avaliações necessárias para estabelecer e atingir metas significativas,

4. Escolher e administrar ferramentas de avaliação ISA e avaliações adicionais específicas para a profissão (TO),

5. Interpretar, sintetizar e analisar dados de avaliação,

6. Comunicar com termos de ISA,

7. Comunicar/escrever os resultados da avaliação para outros  de maneira conclusiva e compreensível,

8. Relacionar os resultados da avaliação com a participação e os desafios funcionais (motivo de encaminhamento),

9. Fazer um impacto e capacitar outros para efetivar mudanças para a pessoa com disfunção de IS,

10. Saber quando você não sabe e a quem encaminhar,

11. Compreender o uso terapêutico de si mesmo em ISA,

12. Criar interação lúdica e de confiança e

13. Atender aos critérios de fidelidade na prática.

A função do ICEASI é fazer recomendações claras para os PADRÕES MÍNIMOS PARA PROGRAMAS DE TREINAMENTO EM INTEGRAÇÃO SENSORIAL DE AYRES PARA TERAPEUTA OCUPACIONAL (TO). Os programas que optarem por seguir e aderir às recomendações do ICEASI podem solicitar avaliação de seu programa e podem obter um certificado do programa aprovação do ICEASI. Os programas de educação que optam por não seguir e aderir às recomendações do ICEASI não serão avaliados ou “policiados”.

A adesão ao ICEASI e a aprovação do programa de treinamento do ICEASI são dois procedimentos separados;

A afiliação de uma organização ao ICEASI não significa que o programa de treinamento ministrado por aquela organização foi avaliado e aprovado pelo Comitê de Padrões de Educação do ICEASI.

CAMINHO PARA EXPERTISE
(com selo de qualidade do ICEASI-ABIS)

•NIVEL INICIANTE: Programa Básico ISA de acordo com os padrões ICEASI (Ver Padrões) Para promoção ao NÍVEL DE PRATICANTE: mínimo de 25 pacientes e 250 horas de tratamento / avaliação direta; 20 horas de supervisão* por um período de 2 anos; recomendação para promover feita por 2 mentores.

• * Pelo menos 75% do tempo de supervisão deve ser com observação direta da intervenção por um mentor para terapeutas ocupacionais no NÍVEL INICIANTE

•NÍVEL DE PRATICANTE: Mínimo 2 anos de experiência na prática clínica OT-IS


Para promoção ao NÍVEL DE MENTOR: mínimo de 75 pacientes adicionais e 300 horas de tratamento direto; 30 horas adicionais de supervisão durante um período de 3 a 5 anos; 24 horas de desenvolvimento profissional contínuo em ASI de acordo com os padrões do ICEASI; recomendação de promoção feita por 2 mentores; qualificação registrada pelo estado para exercer a profissão de terapeuta ocupacional em seu país; experiência comprovada em uma ou mais áreas de pesquisa, educação, prática ou defesa da ASI

•NÍVEL DE MENTOR: Mínimo de 5 anos de experiência na prática clínica OT-IS com experiência comprovada em uma ou mais áreas de pesquisa, educação, prática ou defesa de ASI
Para promoção ao NÍVEL DE INSTRUTOR: recomendação feita por 2 instrutores e cumprir os requisitos do nível de instrutor; qualificação registrada na  regional estadual para exercer a profissão de terapeuta ocupacional em seu país; demonstrar experiência na criação e transmissão de informações acadêmicas sobre ISA por escrito, virtualmente ou pessoalmente

•NÍVEL DE INTRUTOR: Mínimo de 8 a 10 anos de experiência em prática clínica OT-IS com experiência comprovada na criação e transmissão de informações acadêmicas sobre ISA por escrito, virtualmente ou pessoalmente.
Legalmente qualificado para exercer a função de terapeuta ocupacional em seu país.
Nível de mestrado, certificado de aptidão pedagógica (CAP) ou formação equivalente de pós-graduação que habilite a lecionar.
No momento da aprovação do ICEASI Caminho para Expertise, os terapeutas ocupacionais que ministram cursos de ISA e têm um mínimo de 150 horas de experiência como instrutores de cursos ASI, serão automaticamente reconhecidos como instrutores. Após o período de transição inicial, os instrutores serão aprovados de acordo com o Caminho de Expertise indicado.